25/03/2021 Convocação para Assembleia Geral Ordinária
09/04/2021 EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

Imprensa / Notícias

05/04/2021

Projeto Orchestra Brasil coordena rodadas de negócios virtuais da Fimma

O Projeto Orchestra Brasil vai coordenar as rodadas de negócios internacionais que a Fimma Brasil promove virtualmente no mês de maio. Os formulários de interesse estão abertos até o dia 09 de abril e a iniciativa espera atrair 50 empresas importadoras de 15 países, fomentando as exportações brasileiras de máquinas, insumos e tecnologias para a indústria moveleira.

Podem participar as empresas expositoras da Fimma e também fabricantes brasileiras que não exponham da Fimma, mas integrem o projeto Orchestra Brasil. Realizado pelo Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis) com apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o Projeto Orchestra Brasil apoia a internacionalização de fornecedores da indústria moveleira.

A mais recente edição das rodadas de negócios internacionais ocorrera em 2019, durante a Fimma Brasil, e resultaram em 1.100 reuniões, com geração de US$ 30 milhões em exportações. Para inscrições e informações, as empresas podem entrar em contato com international@fimma.com.br (Rodolfo Luchese).

 

Mais sobre o Projeto Orchestra Brasil

 

O Projeto Orchestra Brasil existe desde 2006 e promove a inserção competitiva de fornecedoras do setor moveleiro no mercado internacional. O objetivo do Orchestra Brasil é posicionar positivamente esse segmento no mercado externo, elevando a percepção de valor e a competitividade brasileira. Para isso, são promovidos estudos de mercado; missões comerciais e prospectivas; ações individuais; Projetos Comprador, e Imagem, além da participação nas principais feiras mundiais do setor.

Atualmente, participam do projeto mais de 50 empresas de insumos, componentes, acessórios, químicos, máquinas, ferramentas e software – e pelo menos 50 dela são exportadoras, negociando com um total de 98 países. No ano passado, apesar das dificuldades fronteiriças decorrentes da pandemia, 29 empresas apoiadas abriram novos mercados e 22 exportaram pelo menos um novo produto.

Os mercados-alvo do projeto são Argentina, Colômbia, Estados Unidos, México e Peru. Os secundários são Alemanha, Guatemala, Reino Unido, Angola, África do Sul, Bolívia, Canadá e República Dominicana.